Sem categoria

À volta da fogueira discutindo arte, planos e dragões

14 Ago , 2018  

“Acredito profundamente na força da arte, da educação e do amor para a transformação do mundo”, nas palavras da nossa voluntária Maria Matina, é este o sabor dos marshmallows que provou, junto à fogueira, no intercâmbio “ People are strange if you are a stranger”.

Durante dez dias, jovens da Eslováquia, Estónia, Lituânia, Grécia, Itália, França e Portugal, em parceria com a Art Kruh, experimentaram o quão utópico e real pode ser sonhar, planear, concretizar e celebrar a arte como forma de inclusão.

Este Intercâmbio de Jovens (Youth Exchange) na Eslováquia, sensibilizou os participantes para a arte de rua,  o teatro e a “land art” como ferramentas de exploração de barreiras interculturais e aproximação dentro da comunidade. Isto através de diversos workshops de teatro e improvisação que resultaram na criação de murais, instalações coletivas e uma performance final.

Para além de participarem  nas atividades propostas, os jovens foram desafiados a dinamizar também eles workshops para a comunidade. A nossa voluntária, com a ajuda da equipa portuguesa, criou a caminhada em silêncio, seguida da meditação dirigida ‘Todos temos três gerações’, que culminou com uma instalação artística coletiva dentro da mata. Em conjunto com a equipa da Grécia e França, ofereceram um workshop para as crianças da cidade de Prencov, no Centro Comunitário. Privilegiando a comunicação não verbal, desenvolveram com elas jogos de memória e expressão corporal, construção de origamis, pintura facial e malabares, obtendo um retorno muito positivo por parte dos voluntários da Art Kruh. A performance final do intercâmbio, precedida de mais um workshop para o público como forma de divulgação da atividade, germinou em teatro de máscaras neutras, dança, pintura ao vivo e coreografia com fogo.

Além de partilharem e desenvolverem capacidades artísticas, os participantes do intercâmbio foram ainda convidados a sair da sua zona de conforto em relação ao regime alimentar. Segundo a nossa voluntária, a dieta ovo-lacto-vegetariana foi mais um desafio bem aceite e com consequências transformadoras na equipa portuguesa.

A acrescentar à viagem artística, a Matina teve a oportunidade de se perder na pequena cidade de Prencov onde, segundo ela, “o tempo passa mais devagar”.  Perdeu-se na arquitetura, florestas e lago da cidade de Banka Stiavinsca, nos trabalhos pelo jardim do espaço Art kruh e na fauna e aves do local.

Para a Matina “ O projeto reduziu as distâncias entre os países, ajudou a transpor a dificuldade da língua através de exercícios de comunicação não verbal, permitiu o aperfeiçoamento do inglês, promoveu o cuidado, respeito e empatia, práticas de inclusão social, criatividade individual e coletiva e proporcionou momentos de autoconhecimento e  desenvolvimento pessoal” à volta da fogueira, discutindo arte, planos e dragões.

Por
Associação para a promoção da cidadania ativa