• Inclusão e Sensibilização Social
  • Erasmus+

Centro Social e Paroquial de Angeja

A contribuir para o bem-estar

O Centro Social e Paroquial de Angeja tem como missão contribuir para o bem-estar dos seus clientes, através de um conjunto de serviços prestados com qualidade. Promover o desenvolvimento social, através de uma intervenção focada nos problemas sociais do concelho, apoiando a comunidade/públicos vulneráveis, reduzindo desigualdades.

A Instituição tem respostas sociais, nomeadamente, Serviço de Apoio Domiciliário, Centro de Dia e Centro de Convívio, dirigidas à pessoa idosa com vulnerabilidades diversas condicionantes do seu bem-estar, qualidade de vida e autonomia. A este nível, presta apoio às atividades de vida diária dos clientes, nomeadamente, alimentação, higiene pessoal e habitacional, cuidados de imagem e tratamento de roupa. Dinamiza atividades lúdico-recreativas e socioculturais. Apoia 70 pessoas e suas famílias.

Na área da infância, promove condições para um desenvolvimento integral e harmonioso, através do Centro de Atividades de Tempos Livres, com 20 crianças, no qual desenvolve atividades lúdico-pedagógicas e apoio ao estudo. Procura promover mudança social, apoiando as crianças e jovens das comunidades ciganas do Concelho, fomentando a sua inclusão social e diminuindo desigualdades sociais.

A Filipa Almeida, do CSP Angeja, falou-nos principalmente do projeto Olá Ritmos desta instituição. Atualmente, têm cerca de 270 participantes, entre os quais, cerca de 63 participantes diretos e 204 indiretos. Como participantes diretos entendem-se o público prioritário do projeto, nomeadamente, as crianças e jovens de etnia cigana. Os participantes indiretos são os familiares e a comunidade em geral.

Consideramos que todas as atividades, em determinado momento, tiveram algum impacto para os nossos participantes. Neste sentido, destacamos o desenvolvimento de competências pessoais e sociais, a partir do Ateliê Lúdico-pedagógicos; o apoio às famílias, a partir da Intervenção Familiar; o apoio ao estudo; o desenvolvimento de competências digitais, onde se engloba, o Ateliê de Informática, o Curso de Iniciação às TIC e a Oficina Audiovisual e Fotografia; o diálogo intercultural, a troca de saberes e experiências entre ambas as comunidades (majoritária e minoritária), destacando aqui a Oficina de Saberes; a importância da diversidade cultural, recorrendo à música e à dança, a partir da Oficina de Música e Dança; e, por fim, a sensibilização sobre os direitos e deveres de cidadania fomentando a inclusão social e a motivação para a participação social, onde se destaca as Ações de Sensibilização para a Participação e Cidadania. Para além das presentes atividades, o plano de atividades de projeto também assenta em outras atividades, nomeadamente, o Clube “Olá_Ritmos”, as Oficinas de Trabalho com Agentes Educativos, a Rádio Escolar e a Associação de Estudantes.

 

A principal necessidade sentida é a falta de recursos humanos, tendo em conta que têm um elevado número de participantes e também diversas atividades afetas ao projeto para desenvolver. Além disso, a falta de recursos materiais, nomeadamente, a nível dos transportes também é uma das dificuldades sentidas. Esta necessidade deve-se ao facto de intervirmos numa grande área do concelho de Albergaria-a-Velha, na medida em que os participantes vivem espalhados por várias freguesias, com uma distância significativa entre estas. Contudo, de modo a combater esta dificuldade há um reforço do apoio da entidade promotora e Gestora, o Centro Social Paroquial de Angeja.

A divulgação do nosso projeto é de facto mais uma das dificuldades sentidas pela equipa, o que se deve às características do público com o qual intervêm, pois ainda são muito colocados à margem pela sociedade em geral. De modo a combater esta dificuldade, dão ênfase a atividades que promovam o diálogo intercultural e a partilha de saberes e experiências entre ambas as comunidades, maioritária e minoritária.

Se tivéssemos que resumir o que é trabalhar neste projeto em poucas palavras, sem dúvida que seriam dedicação, adaptação, aprendizagem e versatilidade. O dinamismo, a aprendizagem contínua com os nossos participantes e a dedicação, afeto, apego e cuidado que sentimos por estes, são palavras-chave que caracterizam o nosso dia-a-dia. Podemos mesmo afirmar que nunca um dia é igual ao outro e que somos constantemente colocados à prova. O diálogo intercultural, a desconstrução de mitos associados às minorias étnicas, o sucesso escolar, o combate do absentismo e a inclusão social são os pontos principais do nosso projeto. Deste modo, a participação ativa da comunidade em geral é um dos pontos a melhorar em futuros projetos.

CSP Angeja aceita voluntários. Qualquer pessoa pode candidatar-se a voluntária. Para isso basta entrar em contacto através do email da instituição.

Esta publicação faz parte do "Mapa Solidário de Aveiro". Este projeto visa dar visibilidade às diferentes instituições que trabalham incansavelmente causas sociais em Aveiro e promover a solidariedade e o voluntariado na comunidade. Inclui 10 organizações e os projetos significativos que estão a desenvolver e a implementar. Este projeto é financiado pelo programa Corpo Europeu de Solidariedade da Comissão Europeia.

Agora Aveiro

05-05-2021