Mais conexão humana em Aveiro

No passado dia 25 de abril a Agora Aveiro promoveu o contacto humano pelas ruas da cidade. No cais da Fonte Nova foi criado um espaço para “Eye Contact” e vários voluntários percorreram as ruas a distribuir abraços grátis.

Estas ações surgem para sensibilizar a população para a interação humana, para o afastamento do contato, do toque e do olhar, privilegiando ecrãs e mensagens de texto. Este afastamento reflete-se na forma de ver e sentir o mundo, de entender o próximo, seja o vizinho da frente ou o estranho de uma notícia.

O “Eye Contact” é uma experiência social que desafia duas pessoas que não se conhecem a passar um minuto “olhos nos olhos” criando uma plataforma que permita a conexão humana e mostrando que apesar das diferenças há amor e humanidade em todas as pessoas. No Cais da Fonte Nova foram espalhadas várias mantas e almofadas e foram várias as pessoas a responder ao desafio. “É uma nova forma de conhecer uma pessoa, sem palavras mas ainda mais intimista” afirmou uma participante. Outros disseram que o tempo partilhado é intenso e uma experiência desafiante, que no dia-a-dia caem muitas vezes nas distrações da envolvente e num estilo de vida demasiado desequilibrado que não permite estar verdadeiramente com os outros e partilhar momentos como este.

Também nesse dia distribuímos abraços grátis. Esta não foi a primeira vez que a Agora Aveiro os pela cidade. Depois do sucesso da primeira edição, organizada em fevereiro, foi a vez do feriado solarengo de 25 de abril receber esta ação. Com imensos turistas e famílias a passear pela cidade, a oferta dos voluntários acabou por também influenciar os mesmos e despontar abraços espontâneos entre famílias e amigos, demonstrando que um pequeno gesto pode desencadear muitos sorrisos, partilhas e algum conforto. “Tu dás um abraço, mas aquilo que recebes é muito maior” afirma uma voluntária da Agora.

A Agora Aveiro pretende repetir estas ações no futuro de maneira a aumentar o envolvimento da população. Esperando que o dia 25 de abril tenha sido a semente e que na próxima ação sejam ainda mais os que aceitam estes simples, mas desafiadores momentos.

Agora Aveiro

Helder Berenguer

27-04-2016